ÂNGULO PRODUÇÕES

ÂNGULO PRODUÇÕES
Serviço Profissional de Fotojornalismo e Vídeojornalismo - Informações Ligue (11) 2854-9643

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Disque 100 - Agora é DDN - Disque Denúncia Nacional

O disque 100, agora esta melhor, com mais serviços ampliados.

Agora ele passa a ser o DDN  - Disque Denúncia Nacional.

A partir de Agora, o Disque 100, o qual a ligação é gratuita, e pode ser feito de qualquer telefone, e quem não quiser se identificar, pode usar o anonimato, e fazer a denúncia em um telefone público (orelhão).

Desde que foi implantado, tem crescido o número de denuncias, e nós como pais, e ou amigos da(a) criança(s), temos que ajudar na divulgação e concientização, pois a informação, é o melhor caminho para que todos membros da familia, tenha acesso as informações de combate a pedofilia.

Quando o serviço foi implantado em 1997, atendia e atende:

* VIOLÊNCIA SEXUAL INFANTIL E JUVENIL

* ABUSO SEXUAL INFANTIL E JUVENIL

* PEDOFILIA

* PEDOFILIA PELA INTERNET

* EXPLORAÇÃO SEXUAL

* NEGLIGÊNCIA

* ABANDONO

* BULLING

* VIOLÊNCIA PSICOLÓGIA E OU AMEAÇA

* EXPLORAÇÃO ECONÔMICA USANDO CRIANÇA E OU ADOLESCENTE

* TRÁFICO INFANTIL

* TRABALHO INFANTIL

* OMISSÃO INTITUCIONAL





SERVIÇOS AMPLIADOS

Agora, este serviço que é coordenado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, ampliou e aceita denuncias também para:


* PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS - AGRESSÃO E OU VIOLÊNCIA

* PESSOAS IDOSAS - AGRESSÃO E OU VIOLÊNCIA A IDOSOS

* HOMOFOBIA - AGRESSÃO E OU VIOLÊNCIA A GAYS, LÉSBICAS E TRANSSEXUAIS

* MORADORES DE RUA - AGRESSÃO E OU VIOLÊNCIA A MORADORES DE RUA











quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Quero virar chacareiro

Ontem, dia 15 de dezembro de 2010, após o Congresso Nacional, tanto a Câmara de Deputados, quanto ao Senado, onde aconteceu o decreto que elevou de R$ 16,5 mil para R$ 26,7 mil o salário de deputados federais e senadores. Enquanto que para aumentar o salário mínimo, o governo diz que não pode, e la vem aquele monte de desculpas de blá, blá, blá.

Tal aumento, vem com efeito cascata para os estados e municípios, enquanto que o trabalhador é arrochado, já o pequeno empreendedor, tem uma carga tributária exacerbada.

Se não bastasse isto, temos que conviver com vários serviços público, onde o que tem é desserviço, corporativismo, e uma total falta de ética profissional, onde impera a vantagem para o servidor que não gosta de ser cobrado, onde faz coco em cima do seu juramento profissional, e vive no reino da mentira. Claro que não são todos, mas serviço público neste pais, já foi sério.

A insegurança permeia nas ruas, ou melhor, o PCC é a bola da vez, onde faz sua justiça, não admitindo estupradores e nem violentadores de crianças.

Os amigos, este sim, são muitos, quando você tem dinheiro e poder, mas o que vale mesmo, é a conveniência. Claro que tem os reais e sinceros, que fala não aquilo que você gosta de ouvir, mas o que precisa ouvir.

Pra falar a verdade, estou bem de saco cheio, de tanta falsidade, hipocrisia, inclusive dentro da igreja, onde também tem pastores (não são todos), mais preocupados em mostrar seu sapato brilhoso cromo alemão, ou sua oratória e instrumentalidade que pode gerar lucros, não par o reino, mas para si.

Tudo o que eu quero, é parar de ver tanta violência nos telejornais, de andar assustado na rua, com medo as vezes até da sombra, ou do sombra.

Sendo assim, quero virar chacareiro, poder plantar e colher, ver a terra dar o seu fruto, ver como Deus é generoso, em uma semente ver poder nascer um milharal. Claro que por vezes aparece as ervas daninhas, mas mil vezes ela, do que as ervas danadas da cidade grande. E não é só ervas não, tem o pó, a pedra, o ferro, a pistola, o fuzil, metralhadora, bazuca, e até polícia corrupta.

Bons tempos aquele, que eu podia ir pescar com o Tio Jaci na beira de um lado, vendo ele com toda sua simplicidade, plantar e colher.

Ou ainda quando eu podia ia na chácara do Seu Eduardo buscar cana, ou comer aquelas deliciosa goiabas ou comida feita a lenha pela saudosa Dona Tilde do Perracine.

Os tempos hoje são outros, vivemos nas redes sociais, com informação em tempo real no globo terrestre, e até fora dele.

Mas minha vontade hoje, é virar chacareiro.






terça-feira, 14 de dezembro de 2010

“Aviso: fotógrafo também cobra por seus trabalhos”

O texto abaixo, foi obtido em um fórum de discussão fotográfica, vale a pena ler, afinal, vez outra aparece um que não usa ou não tem simancol.  

Ficamos discutindo na lista, que na nossa profissão de fotógrafo, essas coisas acontecem também. Cada um deu sua opinião e depoimento de como fazem para escapar de tais constrangimentos. No decorrer do mesmo dia,  por coincidência, deparei com outros dois artigos na internet que me chamaram muito a atenção. O primeiro do fotógrafo Rodrigo Baleia, da National Geographic, com o título: “Aviso: fotógrafo também cobra por seus trabalhos”. No texto, excelente e vale a pena ler, Rodrigo faz uma espécie de desabafo quanto aos valores oferecidos pela mídia quanto a compra de fotografias. Há uma reclamação geral dos fotógrafos que com a introdução da fotografia digital começou-se esse tipo de desvalorização com os profissionais da fotografia. Rodrigo Baleia é um dos colaboradores do blog da National Geographic Brasil. Leia o texto clicando aqui. (http://migre.me/2Wan1)

O outro artigo do qual mencionei, trata-se de uma divertida brincadeira do fotógrafo Marco Moreira que ele chama de “Como enlouquecer um fotógrafo”. Leia o texto clicando aqui. (http://migre.me/2WaqO)

Marco numera os 12 motivos que fazem enlouquecer qualquer fotógrafo.

Baseada na tabela dos “Serviços de Arquitetura” resolvi fazer uma brincadeira e construir nossa tabela de “Serviços Fotográficos”. Se esqueci de alguma coisa e alguém quiser complementar, basta deixar um comentário no blog que acrescento em nossa tabela. Divirtam-se!

“Serviços Fotográficos”

Devido à boa procura por nossos serviços e para facilitar à clientela e o entendimento de nossos honorários, nós fotógrafos, resolvemos elaborar esta elucidativa tabela:



GERAIS:

- Dar um “palpite”: R$ 100,00.

- Só “trocar umas idéias”: R$ 200,00.

- Comprei uma câmera compacta, só preciso de umas “orientações” no funcionamento: R$ 400,00

- Dicas de enquadramento: R$ 500,00

- O que é ISO? R$ 800,00

- Com flash ou sem flash? R$ 100,00

- Como elimina o olho vermelho? R$ 130,00

- Dá para você ensinar rapidamente como funciona o menu? R$ 700,00

- O que é abertura de diafragma? R$ 600,00

- O que é exposição? R$ 800,00

- Como faço para minha câmera fazer umas fotos igual a sua? R$ 3000,00

Esse é o mais grave, alguns leigos gostam da nossa foto e acham que a façanha é da câmera que é boa e não o fotógrafo.

EVENTOS:

- Fotos de aniversário: R$ 800,00

- Fotos de aniversário para um amigo que te convidou somente com esse interesse: R$ 1200,00

- Festinha de final de ano da empresa onde um conhecido trabalha, o fotógrafo nem faz parte a empresa, mas foi convidado para a festa e solicitaram levar sua câmera. Nesse caso leva-se a câmera compacta, aquela que você sempre carrega no bolso e cobra-se: R$ 2400,00 pelas fotografias clicadas durante a festa.

- Fotografias industriais: R$ 900,00

- Fotos de casamento: R$ 4000,00

- Fotos de casamento para um amigo que te convidou somente com esse interesse: R$ 9000,00



ARQUITETURA:

- Fotos de arquitetura ou decoração solicitada por um profissional da área: R$ 120,00 a foto.

- Fotos de arquitetura ou decoração solicitada por um amigo que deseja mostrar a propria casa no Orkut ou enviar para os amigos: R$ 360,00 a foto.



GASTRONOMIA:

- Fotos de culinária para um restaurante: R$ 150,00 cada.

- Fotos de culinária para uma revista de grande visibilidade: R$ 150,00 cada.

- Fotos de culinária para o livro de um grande chef: R$ 150,00 cada.

- Fotos de culinária para aquele seu amigo que adora cozinhar e quer postar no Orkut: R$ 300,00 cada.



FOTOJORNALISMO:

- Venda de imagens para um site de informação na web: R$80,00 cada.

- Fotos para o Orkut do seu amigo: R$ 160,00 cada.

- Fotos para um jornal: R$ 120,00 cada.

- Primeira página: R$ 800,00

- Jornal de bairro e ou condomínio, achou seu trabalho interessante e quer de graça: R$ 360,00  por cada fotografia enviada. Se for para a capa do jornal: R$ 1600,00

- Documentário para uma revista: R$ 220,00 cada

- Capa de Revista: R$ 1200,00

- Revista do supermercado do Seu Zé: não faça porque é queimação de filme (literalmente).



ESTÚDIO:

- Book: R$ 1200,00

- Book para um amigo ou parente que quer fazer de graça: R$ 2000,00

- Ensaio de moda para um catálogo: R$ 220,00 a foto.

- Fotos para a filha da sua amiga que inventou que quer ser modelo, mas não tem dinheiro para pagar: R$ 440,00 a foto.

- Fotografias de jóias para um anúncio ou catálogo: R$ 300,00 a foto.

- Fotografias para as bijouterias da loja da minha vizinha, pediu as fotos com a intenção de não pagar nada: R$ 600,00 a foto.

- Fotografia de produto para um anúncio:

Revista: R$ 300,00 a foto.

Outdoor: R$ 2000,00 a foto.

Seu amigo inventou um produto e quer divulgar no blog dele: R$ 1000,00 a foto.

Atenção: Os valores acima não correspondem aos valores reais cobrados por um fotógrafo profissional, são meramente ilustrativas.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Poá fica mais uma vez sem o Dia da Bíblia

No segundo domingo de dezembro, é comemorado o Dia da Bíblia. Tal comemoração, acontece geralmente em todos os templos das mais diversas denomínações evangélicas de todo o pais, onde por vezes, alguns departamentos apresentam manifestações durante o culto, ou até tem igreja, que dedica o dia de hoje focando no tema Bíblia Sagrada.

A cidade de Poá, a mais de 20 anos tem a Praça da Bíblia, e desde o dia 12 de dezembro de 1995, o prefeito Eduardo Carlos Fellipe sancionou a lei 2.495 do Dia de Comemoração a Bíblia (http://migre.me/2TCde )
. A qual foi modificada pelo prefeito Carlos Roberto Marques da Silva pela de número 2.160 em 10 de maio de 2006  (http://migre.me/2TCfy).

O que mais chama a atenção, é que na lei anterior tem um parágrafo que diz: “Parágrafo Único. O evento deverá ser organizado pelo Conselho de Ministros Evangélicos de Poá em conjunto com a Secretaria de Cultura, Esportes e Turismo do Município de Poá.”

Porque não aconteceu?

O Conselho de Pastores de Poá, não se reuni com frequência, onde até agora não conseguiu se organizar de fato, pois existe o encontro dos pastores na cidade, denominada Partir do Pão, onde eles em um ato de unidade de confraternizam, trocam experiências e mantém um ato de comunhão e união. Eles mesmo se confundem com o Partir do Pão, e Conselho de Pastores. Até quando ficará assim?

O atual presidente do conselho, pastor Carlos Alberto Romano, o pastor Nene - já disse e assumiu que ele não tem este traquejo e ou jogo de cintura para poder fazer a lei cumprir e ou ser um ativista político, enquanto isto, a coisa não anda, ou melhor, o que caminha bem pelo grupo de pastores da cidade de Poá, é a Marcha Para Jesus, encabeçada por outros interesses, entre eles, de tentar fazer a igreja aparecer mais, ou ter mais membros entre eles jovens, para algumas igrejas e ou pastores organizadores.

A não realização do evento, mostra o descaso tanto da atual administração, onde não faz cumprir a lei e o calendário do município. Já a presidência e diretoria do Conselho de Pastores de Poá, mostra também uma total falta de compromentimento com esta data tão importante para os Cristãos Evangélicos.

HISTÓRIA DO NATAL DIGITAL

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Jovem evangélico é humilhado e demitido pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça

Marcos Paulo dos Santos
A testemunha descreve a cena tal qual a vítima fez constar no boletim de ocorrência. Por volta das 16h do dia 19 de outubro, o estagiário, após entregar um processo na seção de documentos administrativos, que fica no subsolo do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, dirigiu-se para a agência do Banco do Brasil no complexo de prédios da corte a fim de fazer um depósito por envelope para uma amiga.

Vestindo camisa polo, calça jeans e sapato social, foi informado por um funcionário da agência de que em apenas um dos caixas eletrônicos poderia ser feita a transação. Justamente aquele, em uso por um homem de terno e gravata, aparentando 1,60 metro, que ele inicialmente não reconheceu. Postou-se atrás de linha de espera, traçada no chão da agência. O diálogo que se seguiu foi o seguinte:

- Quer sair daqui? Estou fazendo uma transação pessoal – disse o senhor, após voltar-se duas ou três vezes para trás, “de forma um tanto áspera”, como relataria o jovem, em seu português impecável.

- Senhor, eu estou atrás da linha de espera. – foi a resposta, “em tom brando”, como contou, ou “de forma muito educada”, na confirmação da testemunha.

- Vá fazer o que tem que fazer em outro lugar! – esbravejou o homem em frente ao caixa eletrônico.

- Mas, senhor, minha transação só pode ser feita neste caixa…

- Fora daqui! – o grito, a essa altura, chamou a atenção de pessoas que passavam e aguardavam na agência.
E foi completada pelo veredicto, aos brados:
Ari Pargendler, presidente do STJ

- Eu sou Ari Pargendler, presidente deste tribunal. Você está demitido, entendeu? Você está fora daqui, isto aqui acabou para você. De-mi-ti-do!

Assim terminou a carreira do estudante de administração Marco Paulo dos Santos, de 24 anos, na segunda mais alta corte do País. Ele entrara no STJ no início do ano, após passar por um processo seletivo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), na capital federal, do qual participaram mais de 200 candidatos.

Marco ficou entre os dez primeiros. Todos os dias, saía do apartamento onde mora com a mãe e o irmão em Valparaíso de Goiás, cidade-satélite a 35 km de Brasília, e levava uma hora de ônibus até chegar ao estágio. Dava expediente das 13h às 19h, pelo que recebia R$ 600 por mês, mais R$ 8 por dia de auxílio-transporte. Pouco importa. Martelo batido.

“Foi uma violência gratuita”, avalia a brasiliense Fabiane Cadete, de 32 anos, que estava sentada com uma amiga na fila de cadeiras ao lado dos caixas eletrônicos naquele dia. “Ele (Pargendler) gritava, gesticulava e levantava o peito na direção do Marco.” Chamou-lhe especialmente a atenção a diferença de estatura – literal, no caso – dos dois protagonistas. Marco tem 1,83 metro. “O juiz puxou tanto o cordão do crachá para ler o nome do menino, que as orelhas dele faziam assim, ó”, mostra ela, empurrando as suas próprias como se fossem de abano.

Batalha difícil
Fabiane conta que ficou receosa antes de decidir depor em favor de Marco – que, no dia seguinte, registrou queixa por “injúria real” contra o presidente do STJ na 5ª delegacia da Polícia Civil do Distrito Federal. Funcionária de uma empresa que presta serviços ao tribunal, ela jura que nunca tinha visto Marco antes na vida, mas ainda assim se dispôs a contar o que viu.

A amiga, que tem mais anos de casa no STJ, preferiu se preservar. “Eu não me sentiria em paz comigo mesma se não falasse”, explica Fabiane, que cursa direito no Instituto de Educação Superior de Brasília (Iesb). “Como futura advogada, fiquei decepcionada com o ministro.”

Como Ari Pargendler só pode ser julgado em instância superior no Judiciário, o delegado Laércio Rossetto encaminhou o caso ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde o processo corre em segredo de Justiça.

Remetido inicialmente para a ministra Ellen Gracie, esta se declarou impedida por manter relações de amizade com Pargendler. Redistribuído pelo presidente do Supremo, Cezar Peluso, caiu nas mãos do ministro Celso de Mello, jurista que não tem por hábito “sentar em cima” dos casos mais polêmicos.

O depoimento de Fabiane animou o até então cauteloso advogado de Marco, preocupado em não expor seu cliente a uma contraofensiva judicial. “Não tenho vocação nenhuma para Policarpo Quaresma”, diz Antonielle Julio, que teve uma prévia das dificuldades que vai enfrentar quando solicitou à gerência do Banco do Brasil no STJ as imagens do circuito interno de segurança, que revelariam facilmente quem está com a razão. Ouviu que o sistema apresentou falha técnica e “não há imagem alguma”.

A Bíblia e os ‘policiais’
Marco Paulo dos Santos é negro, filho de brasileira com africano e nascido na Grécia. Vista de perto, sua história de vida é tão espantosa quanto o diálogo supostamente travado na agência bancária do STJ. Sua mãe, a doméstica Joana D’Arc dos Santos, de 56 anos, natural de Raul Soares (MG), passou como ele por um concurso que mudaria o rumo de sua existência. Ainda solteira, na década de 80, leu um anúncio no jornal Estado de Minas em que a esposa de um diplomata mineiro procurava uma empregada para acompanhar a família em seu novo posto no exterior.

Quando chegou a Belo Horizonte para a entrevista, uma centena de candidatas já havia passado pelo crivo da patroa, mas foi Joana quem levou. “Ela agradou mais de mim”, conta, na construção típica da zona da mata mineira.

Em Atenas, Joana conheceu o marinheiro cabo-verdiano José Manoel da Graça, que trabalhava em um navio petroleiro. O namoro deslizava em mar de rosas, quando o patrão recebeu ordens do Itamaraty para se transferir para a Embaixada do Brasil no Chile. E lá se foi Joana D’Arc de volta para a América.

Mas, com banzo de seu africano, em pouco tempo abandonava o emprego para voltar a sua odisseia grega. Amigou-se com Manoel em Atenas e teve com ele dois filhos: Daniel David e Marco Paulo.

Cinco anos depois, foi a saudade do Brasil que bateu e Joana embarcou de volta com os meninos. Primeiro, para Minas; depois, Brasília. Manoel foi navegar outros mares. “Fiquei esperando, porque ele nunca disse que não vinha. Os telefonemas foram rareando, só Natal, aniversário… E Manoel acabou não vindo”, dá de ombros. Hoje, é com a tormenta jurídica do caçula que ela se preocupa. “Sabe como é, a gente foi criada no negócio do ‘deixa pra lá’. Mas ele decidiu assim, entrego nas mãos de Deus.”

Em casa, o primogênito Daniel, hoje com 27 anos, é o voluntarioso e bem-humorado. Já Marco sempre foi introvertido e responsável. A mãe conta que, enquanto faxinava nas casas de família, o garoto dava um jeito de se enfurnar na biblioteca dos patrões. “Sempre foi menino de ler. Passava duas, três horas… eu até esquecia dele.” Daí a facilidade, talvez, com que passou em todos os testes que fez até hoje, inclusive o do Prouni – programa de bolsas de estudos do governo, que lhe permite cursar administração no Iesb.

Evangélico, como toda a família, Marco traz sempre a Bíblia debaixo do braço. E algum romance policial de Agatha Christie e Conan Doyle. Mas também passeou por leituras mais substanciosas, como O Príncipe, de Nicolau Maquiavel. “É uma aula de vida. Ele juntou todo o conhecimento de como se governar, lidar com as pessoas, a política e o poder. É muito útil para um administrador”, ensina o estagiário defenestrado do STJ.

Na melodia do Supremo
Outro dos talentos de Marco é a música. Na igreja, deu seus primeiros acordes. E logo conseguiu uma bolsa no tradicional Clube do Choro de Brasília, onde estuda violão de sete cordas. O professor, o instrumentista carioca Fernando César, de 40 anos, é só elogios: “Ele é um cara supertranquilo, aplicado e musical. Lê muito bem partitura”. Empreendedor precoce, escreveu e lançou em junho, por uma editora evangélica, um método de ensino de violão para os fiéis sem condições de pagar por um curso.

Agora, ainda desempregado, dedica-se com mais afinco à execução de clássicos como Vou Vivendo, de Pixinguinha, cujos versos finais são: “Vou vivendo assim/ Porque o destino me fez um vadio/ Novo endereço ele vai traçar/ E virei para te avisar/ Quando à noite uma toalha de estrela/ Tiver para me cobrir”.

Mesmo apreensiva, Joana D’Arc não esconde o orgulho pela coragem do filho em enfrentar o presidente de uma das instituições mais poderosas do País. “Antes de ir para a Grécia eu era um bicho assustado. Achava que por ser negra e pobre era normal ser humilhada e maltratada. Mas lá, a gente entrava num restaurante ou em qualquer lugar chique e era recebido como todo mundo. Então, não deixei meus filhos crescerem com esse pensamento meu.”

Procurado pela reportagem do Estadão para dar sua versão dos fatos, o ministro Ari Pargendler disse por intermédio da assessoria que não vai se manifestar. No telefone da corte, em chamada de espera, ouve-se a seguinte mensagem: “Ter acesso rápido e fácil à Justiça é um direito seu. STJ, o Tribunal da Cidadania”.

Fonte: Estadão/Gospel+

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Por uma infância sem racismo

Nem tudo o dinheiro compra

Hoje antes de vir trabalhar, passei em um padaria da cidade, onde pessoas que vão começar mais um dia de trabalho, passam ali para fazer sua primeira refeição da manhã, para mais um dia de luta.

Claro que pela manhã nossa mente planejando o que será feito durando o dia, ao menos eu pensando assim, também a mesma fica mais arejada e observa mais as coisas.

Foi então, que pude fazer uma análise sociológica de pessoas, ou mais precisamente de um empresário bem sucedido em seu trabalho, onde com o fruto dele é hoje me pessoa de destaque na sociedade, e meio comercial.

Sabendo eu, que nem sempre teve uma vida pujante como a que tem hoje, esquecendo de suas origens, não prestando atenção como deveria em seu semelhante, onde prática uma discriminação velada, mal sabendo ele, que pode e já foi vítima desta sociedade cheias de ondas, onde algumas com dessabores, já lhe bateu a porta de sua casa.

Tal atitude, leva sim uma contribuição negativa para a sociedade por um todo, onde com todo o seu patrimônio financeiro, ainda não percebeu, ou não se atentou para um simples detalhe, mas que pode lhe trazer impacto social, onde a vítima pode ser ele, e os seus.

Afinal, nem tudo o dinheiro compra.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Fotos - Violência no Rio de Janeiro

O que esta acontecendo no Rio de Janeiro, já passou da hora das autoridades tomarem uma medida séria.

Ou será que o direito a segurança que o cidadão o qual esta garantido na constituição só serve para estar no papel!

Claro que esta corrupção começa em alguns cidadãos, e vai caminhando até chegar no poder. Pois quem faz com que entra drogas, celular, e até armas nas cadeias e presídios? A maioria da vezes são com aval e ajuda dos próprios funcionários da segurança.

Tem um monte de discussão vindo a toda agora, como patrulhamento de fronteiras, até uma vida mais digna pra todos, onde o povo não precisa de um plástico que da direito a leite, gás ou uma graninha qualquer.

O povo quer dignidade, vida justa, os jovens, querem boa educação, trabalho, oportunidade, e não serem discriminados,  sobrando o aliciamento do trafico e cultura da malandragem.

E aqui em São Paulo, não esta diferente do Rio não viu, o crime esta incutido não só na periferia, como nos centros, comércio, e Poder Público.

Veja abaixo as fotos desta crise de violência no Rio de Janeiro

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Cachorrada em Poá

Já não é de hoje, que a cidade de Poá esta tomada de animais abandonados na área central, onde existe duas concentrações mais forte. Uma na Avenida Engenheiro Prefeito Jorge Francisco Correa Allen, lado de cima da cidade.

A outra, fica concentrada nas Praças do Relógio, Atílio Santareli e João Felippe Júnior. Mas em outras praças, e até ruas, pode se encontrar cães abandonados.

No primeiro local mencionado, existe uma grande concentração de pessoas, que usam os transportes público, trem e ônibus, sendo comum, os cães sujos, e por vezes com doenças e sarnas, usarem o mesmo assento, onde os passageiros também usam, para esperar a chegada dos coletivos.

Claro que isto é um problema de saúde pública, pois imagine uma cão com sarna e doenças usar o assento, que homens e mulheres usam, onde já provado cientificamente, que para as mulheres, é um grande risco, ser contaminadas em assentos, ainda mais nesta situação.

Um outro problema, é também por vezes; são que os cães cismam com alguém, ou alguma cor de roupa, e começam a latir, vindo do encontro a pessoas, a qual o animal não foi com a cara do cidadão(ã) - o que aconteceu com um amigo ontem.

Já pude ver ali, um motoqueiro que quase sofre um acidente, onde foi desviar de um cão, e quase atropelou outros.

Temos visto vários vereadores(a) na Câmara Municipal da cidade, que tem se mobilizado sim com os animais, por vezes mais preocupados em dar casa e abrigo aos animais, do que com o ser humano. Mas eles tem demostrado boa vontade, ao menos com os animais.


Direitos iguais também para os animais

O Poder Público, as autoridade, os quais deveriam por competência e tomar medida(s), não tomam. Ou será que o cidadão que paga impostos é que tem que executar algo?

Tem pessoas, taxistas, passageiros dos coletivos, que levam até o local alimento, colocam água, dão carinho e atenção aos bichinhos, que claro, gostam e balançam o rabinho, cheios de felicidade.

Mas estas pessoas, precisam ser orientadas, pelo poder público, e também ter um pouquinho de simancol, pois alimentando o animal ali,  e pra ele, é o seu, ou torna habitat natural.

Se alguém tem dó, e gosta do animal, fique a vontade para levar para casa, ou para um lugar ideal, o que não pode ser feito, e nem continuar, é dar água, comida e ração, para animais doentes abandonados na cidade de Poá.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Encontro com blogueiros no Palácio do Planalto com o Presidente da República



Quatro meses após transmitir a faixa e o cargo de Presidente da República a Dilma Rousseff -- tempo que avalia como necessário para “desencarnar” -- Lula deverá se dedicar à blogosfera. A promessa foi feita por Lula nesta quarta-feira (24/11) na sua primeira entrevista coletiva a blogueiros, realizada no Palácio do Planalto, em Brasília. O presidente pretende utilizar o espaço na rede mundial de computadores para debater questões como o caso “mensalão” e o trabalho que pretende realizar em países da América Latina, Caribe e África.

Durante mais de duas horas de entrevista, que envolveu 11 blogueiros (10 estavam presentes no Palácio, uma online pela webcam) e as pessoas que acompanhavam pelo twitter, Lula conversou sobre eleições, justiça, imprensa, banda larga e projetos de governo, entre outros. Revelou que o pior momento de seus oito anos de governo foi o acidente em 2007 com o avião da TAM no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, deixando um saldo de 199 mortos. Lula informou que no início recebeu informações desencontradas, mas quando ligou o aparelho de tv, no gabinete do Palácio do Planalto, pode visualizar o tamanho da tragédia e perceber o tamanho do peso que carregaria em seus ombros.

“O dia em que sofri mais foi no acidente do avião da TAM em Congonhas. Nunca vi tanta leviandade”, disse, criticando os comentários e afirmações de setores da imprensa que acusavam o governo pelo acidente -- as apurações do caso apontaram erro humano dos pilotos como causa do acidente. “Foi o dia mais nervoso da minha vida. Não quero que isso se repita.”


Fonte: Blog do Planalto

domingo, 21 de novembro de 2010

Domingão em Poá, terra sem lei - Lojas Nancy toma conta da calçada, e carro estaciona na vaga de ônibus

Hoje em Poá (domingo), por volta das 10hs, a Loja Nancy, localizada na Avenida 9 de Julho, 270 no Centro de Poá (SP), abriu para vender e atender seus clientes, como algumas outras lojas do comércio local faz.

Ao passar na calçada, percebi que havia gôndolas no meio do passeio público, onde no meio da semana, tal fato não ocorre, talvez seja porque o Departamento de Fiscalização da Prefeitura da Estância Hidromineral de Poá, 'funcione'.

As duas gôndolas, que fazia diminuir a área de circulação de pedestres, o qual já é comprometido na cidade (leia artigo aqui no blog, onde já publiquei sobre a baixa acessibilidade da cidade - http://adilsonsantosfotografo.blogspot.com/2010/09/poa-uma-cidade-com-baixa-acessibilidade.html ).

Parei para olhar aquilo, fiquei observando, onde havia um segurança dentro da loja, que percebendo que eu olhava, o mesmo fez cara de marrudo, e caretas, querendo não sei o que.

Fui até a esquina, pequei a câmera fotográfica, e tirei as fotos que estão abaixo, mas quando o segurando percebeu que o local estava sendo fotografado, começou deferir a mim, palavras de baixo calão, e chamou no rádio, uma pessoa que parecia ser a gerente ou responsável, para que viesse ao local.

Quando liguei o vídeo para registrar, o segurança percebendo, parou de falar palavrões, e foi logo arrastando  as mercadorias para dentro da loja. 

Será que é assim que o Marcelo e a direção das Lojas Nancy treina seus funcionários para tratar o público? 

E se na hora tivesse passando um deficiente visual?

As gôndolas estavam no meio da rua atrapalhando a circulação dos pedestres

Este é o segurança que não gostando, começou a falar palavrões e dizendo que não podia tirar fotos
Quando o local foi fotografado, em seguida o segurança e funcionnários, colocaram as 
mercadorias para dentro da loja, tirando da calçada, onde atrapalhava os pedestres no passeio público


Carro estaciona na Vaga de Ônibus

Ja no ponto de ônibus, que fica mais a frente da 9 de julho, em frente as Lojas Americanas, próximo do banco Santander, a vaga foi usada pelo veículo ELH 2010, o qual estacionou em local proibido, e no mesmo momento passava ao local a viatura da PM 32231, como pode ser vista na foto. Mas nada foi feito, onde o motorista (pessoa que estudou comigo no SESI 175), olhou com cara de poucos amigos, não falando nada, e não gostando do que viu, foi embora.

O carro estava estacionado em local destinado a embarque e desembarque de passageiros dos coletivos, mas com o carro no local, o passageiro tem que descer na rua. Mas isto já virou rotina neste local 
da 9 de Julho em Poá


O banco Santander e seu estacionamento, já foi avisado aqui, por este blogueiro, na postagem: Donos da Calçada - veja: http://adilsonsantosfotografo.blogspot.com/2009/07/dono-da-calcada.html   

O gerente do banco José Antônio Mazzieiro, diz  que a responsabilidade de aplicar multa e ou educar, não é dele, onde as pessoas tem que usar de bom sensso, haja vista, que a vaga é destinada a deficiente e idoso.

Já o Departamento de Transito da cidade, nada faz, ao menos em minha vista.

Tá registrado.


Porca e Parafuso

Usei esta foto, pela beleza e delicadeza, em homenagem ao tema

Através de uma analogia simples, comparo o homem a a mulher, com um a porca e parafuso. Claro que são duas peças diferentes, cada um com uma função, porém, juntos, alcançam o objetivo da criação, claro, que quando estão juntos, onde um completa o outro, um sendo porca, o outro parafuso

Cada um tem uma função, mas os dois, vivem em conjunto, foram criados um para o outro.

Claro que fiz esta reflexão, para que fique bem claro, que o homem, é totalmente diferente da mulher, mas um não vive sem o outro, afinal, Deus criou certinho, assim como o homem criou a porca e o parafuso.

Desde a fundação do mundo, a função da mulher era de cuidar do lar, já o homem ,ia a caça, era o provedor. Mas com a modernidade e avanços, onde as mulheres e feministas dizem que vem ocupando seu espaço, o que a meu ver, sempre foi dela.

Outrora, a mulher era tratada com diferença, onde era humilhada por homens machistas, onde estes, por sua cultura, eram ruins também com seus empregados, e até escravos.

Hoje, com estra constante evolução, onde a mulher começou a estudar, trabalhar fora, onde descobriu que não é tão dependente do homem, mas pode sim ser a provedora do lar e sua vida, vem conquistando cargos importantes.

O que não concordo, é que fique se fazendo de vítima, onde queira usar esta máscara, para poder conquistar seus objetivos, sejam quais forem.

A mulher é linda na sua essência de ser, em poder dar a luz, fazer sim, com toda sua sensibilidade, muito mais do que o homem. Inclusive, inspirar este blogueiro.

 
Perguntei para algumas mulheres o seguinte: Você acha que as mulheres são iguais aos homens nos direitos? Qual o seu ponto de vista sobre isto? No que a mulher tem que ser igual ao homem? Porque a mulher aposenta com 5 anos a menos do que o homem? 

M. 38 anos, analista fiscal, disse que hoje em dia, elas estão bem a frente dos homens, mas não são reconhecidas, pois fazem as mesmas coisas que eles. Mas deveriam se aposentar com a metade do tempo dos homens, pois trabalham fora, cuidam da casa, marido e filhos. Diz ainda ter consciência de que tem maridos que ajudam em casa, e sendo assim, deveriam ser beneficiados com um tempo melhor de aposentadoria. Pois se a previdência cobre empregada doméstica e trabalhadores rurais, tem que beneficiar sim as mulheres.

Já J. 40, disse que são totalmente diferentes, mas ela não sabe dizer.

F.K. Gerente comercial, disse que não são e nem tem que ser iguais, se não, seria muito chato, “ as mulheres não são e não tem que ser iguais aos homens, elas deveria é ter muito mais direitos” , afirmou.

R. disse: Acredito que os direitos deveriam ser iguais independente do sexo, exemplo o índice de acidentes a maioria são homens porque a mulher é mas prudente.

R., auxiliar administrativo, deu a seguinte opinião:  Acho que ainda não, tem muito preconceito ainda, os homens são machistas (não todos rss), eles não querem dividir o espaço com as mulheres, de uns tempos para cá eles estão tendo que engolir que as mulheres são tão capazes como eles. As mulheres tem que ter os mesmos direitos dos homens nos campos de trabalho,esporte, nós não somos tão sexo frágil como acham. Mas essa lei que fizeram que a mulher aposenta com cinco anos a menos que homem, foi, provavelmente feita por um homem e assinado por um presidente que também é homem. Acho que nos aguentamos o tranco sim, e até mais de 5 anos.

L. A. disse que não, pois cada um tem uma maneira de pensar e agir, mas deixou claro que revida o que recebe, e não tem sossego enquanto não dá o troco, se declarou ser vingativa mesmo.

Já a cantora J. D. Disse que as mulheres conquistaram muitas coisas desde o código civil de 2002. Sobre aposentadoria, disse que os homens não dão a luz, sendo assim, tem que ter tal privilégio. Mas é um conjunto, pois não são iguais, e cada um tem sua limitação e valor também.

Para a jornalista K. acha que as mulheres tem q ser iguais aos homens nos direitos, todos eles, os que estão na lei e os que estão na moral das pessoas. Disse ainda que odeia o falso moralismo,  e ainda existem muitas mulheres que repreendem outras mulheres por ser um pouco mais "liberais" com relação a relacionamentos (sexo). Sobre a aposentadoria, isso tem a ver com condições físicas, sei lá - mulher, como tem o corpo mais frágil (é comprovado cientificamente), tem que se aposentar antes porque aguenta menos o tranco.

Já a cabeleireira I. Disse que os dois tem que ter o mesmos direitos, desde que ela trabalhe e sustente a casa, pois os homens, nunca chegarão aos pés de uma mulher.  Disse ainda que tem mulher que sustenta o marido e filho, talvez, para não perder o homem. Mas a igualdade deveria ser assim: Ambos trabalham e crescem juntos. Já sobre aposentadoria, elas trabalham mais, mas disse saber, que tem homem que é um anjo.

sábado, 20 de novembro de 2010

Geraldo Oliveira pode ser prefeito em Poá

Geraldo Oliveira

O atual secretário de governo de Poá, Geraldo Oliveira, o qual foi trazido para Poá pelo prefeito Testinha, sendo a meu ver, na equipe do atual prefeito, uma das pessoas que mais tem o preparo para ocupar um cargo político.

Ele sempre se mostra interessado no assunto, procura conversar, sempre regado a muita educação; mostrando que tem preparo no falar, sabe pedir, e ainda vai mais além, sabe muito bem conduzir um diálogo, mostrando sempre ser um bom cavalheiro e articulador político.

Quando atende ao telefone, faz questão de dizer: Geraldo Oliveira, ou seja, o seu nome. Claro que mostra que tem um pouco de conhecimento de marketing, e sabe bem usar e esbanjar de marketing de relacionamento, onde tal jeito de ser, levou o mesmo, junto com outros atributos - a ser indicado para assumir a secretária de governo, quando a mesma estava com o seu barco em um oceano bem tempestuoso.

Nasceu no nordeste, vindo para São Paulo em 1978, onde na zona leste de São Paulo, trabalhou na área comercial, participou(a) de vários clubes sociais de serviço, onde sempre bem relacionado, e falando bem, vem aumentando o seu leque de amigos, e pessoas o qual lhe admira.

Um homem que tem procurado ser sábio em suas palavras e atitudes, ou seja, ele é um gaivota, tem visão, não é tão meticuloso, e nem se porta como um secretário sem cultura, mas um homem pronto a atender a todos, gostando ou não, pois não deixa o seu rosto demonstrar, mesmo quando não tem tanto afeto com a pessoa.

Sempre solícito, e pronto a estender suas mãos ajudadora, onde mostrou que é muito melhor dar do que receber, tem sido o homem que faz diferença sim, e esta só começando a caminhar pela cidade. Pois mesmo sendo nordestino, onde conhece e sabe como agiam os coronéis sem patente, tem a gentileza e destreza no trato a pessoa humana, onde não com grito, nem enchovalhação, mas com jeitinho, sendo meticuloso, vai ajeitando aqui, e acola, para conseguir seu(s) objetivo(s).


Pronto para ser Prefeito

Se tem um homem que pode suceder o prefeito Testinha, e já igualou no quesito relacionamento de Marcos Borges, é Geraldo Oliveira. Não que seja melhor do que o Marcos da Gráfica, mas é que quando chegou, com o seu jeitinho de ser (mineirinho), as pessoas não imaginavam quem seria este homem, que quando o Testinha esta trabalhando até tarde, faz questão de alimenta-lo, nem que seja, levando uma simples xicará de chá ou café, e um pedaço de pão com manteiga, para quem passou da hora do almoço, e ainda não teve tempo de se alimentar.

Claro que Testinha pode vir a releição, e já disse que virá, mas pode com certeza, na hora de renovar sua chapa, ou colocar Geraldo Oliveira como candidato a vice-prefeito. Como pode continuar com o Marcos da Gráfica como seu vice, e Geraldo Oliveira, viria como indicado do Testinha, após 8 anos de governo na cidade.

Marquinhos no nome, mas grande nas atitudes

Um outro nome que vem aflorando na política da cidade, com o seu modo também mineirinho de ser, o qual já colocou Deneval no bolso, é Marquinhos Indaiá.

Ele também com o seu jeito natural , amigo do povo, a cada dia, vem conquistando pessoas e fortalecendo o seu leque de amizades. Sendo diferente do Humberto, atual secretário de educação, que tem se afastado de pessoas amigas, as quais admiravam seu trabalho (reclamação vinda dos seus ex- e amigos – claro que alguns).

Marquinhos também tem se fortalecido em seu trabalho político, onde mesmo com as dificuldades, quando vem, tem se mostrado ser um guerreiro nato, homem destinado a vencer.
Ele com certeza, já foi ventilado, e se mostra capacitado, para ser o vice-prefeito de Geraldo Oliveira, onde o grupo do prefeito Testinha, pode sim, ficar a frente do poder da cidade, por um longo e grande período. Não 8, mas 16 anos no poder, ou mais.

Fotos: Sitio da Prefeitura e Câmara de Poá

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

#CQC (Custe o Que Custar) vem a Poá, estaciona em local proibido, grava matéria denúncia do CIRETRAN, mas não leva ao ar. Porque será???


Marinho do Jornal acompanhou o CQC
 Hoje, logo após o horário de almoço, na 133ª Ciretran de Poá (SP), que esta mudando para o seu novo prédio na Avenida Nove de Julho, 1.110 -  recebeu a ilustre visita  do CQC ( Custe o que custar - Programa de televisão da Rede Bandeirantes), onde Danilo Gentile, entrevistou Marinho do Jornal, o Colunista do Jornal Notícias de Poá - Naco Fantasia (compositor, músico pagodeiro) em seguida, entrevistou também,  um escrivão de polícia, o responsável pelo local.

O carro da repotagem, não respeitou a vaga de Deficiente Físico
Naco Fantasia, também deu entrevista ao CQC
O carro de placa CNC 9527 que trouxe a equipe do CQC em Poá, a convite do Marinho do jornal, não é exemplo de cidadania, pois não respeita o Código Nacional de Transito, veja na foto, a qual mostra, o carro da reportagem, estacionado em local proibido.

Logo a frente, onde o veículo estacionou, o motorista pode ver uma placa, a qual informa, que o local é uma vaga destinada a Deficiente Físico, onde nem  o motorista, nem o CQC Danilo Gentile, muito menos a produtora estressadinha e mal educada que dirigia toda a resportagem, falando o seu espanhol sendo deselegante e mandona com as pessoas, se atentaram para obedecer a legislação de transito em vigor no Brasil.

Este blogueiro, já postou aqui, o problema da falta de acessibilidade na cidade  (leia - Poá, uma cidade com baixa acessibilidade - http://adilsonsantosfotografo.blogspot.com/2010/09/poa-uma-cidade-com-baixa-acessibilidade.html ).

A referida placa, informa ainda, que as luzes alerta do veículo, teriam que ficar ligadas, ou seja, piscando. Coisa que não aconteceu.

Esta vaga existe ali, pois em frente a placa, existe o Cartório de Registro de Imóveis, onde fica em um nível acima, e bem acima do solo, local de acesso com escadas, mas sem acesso a Cadeira de Rodas, ou seja, se um cadeirante for até o cartório, ou mesmo não tem acesso, ou melhor, não tem uma rampa, que da acesso ao cartório, para um cadeirante.

Marinho do Jornal sendo entrevistado


Após o CQC bater na porta do Ciretran, a mesma foi aberta, onde um escrivão de polícia, deu entrevista explicando sobre a mudança, informou que para o local funcionar, teria que ter uma estrutura completa de telefonia, e dados, onde é usado o sistema da Prodesp.

Já sobre a locação do prédio, sobre o prazo em que o prefeito locou ou não, ele disse não ter maiores informações.

Mal sabia o escrivão de polícia, que a turma do CQC, estavam errados, ou seja, o veículo de reportagem, estava estacionado em local proibído. Onde poderiam ser advertidos, e multados, pelo policial civil e ou autoridade de transito.

Veja o Marinho do Jornal Notícias de Poá dando entrevista ao CQC





Atenção: Algumas pessoas reclamaram do áudio (sonora) do vídeo. Informo que o mesmo, foi feito com uma câmera de fotografia, a qual capta todo o som do local, que é aberto. E por questão de respeito profissional, eu não poderia e não posso, chegar próximo demais do local, tendo que respeitar quem esta fazendo a reportagem, onde o câmara estava com uma distância maior, para poder ter um ângulo de trabalho, proporcional ao serviço dele.


O intuito da filmagem, não foi fazer uma matéria, reportagem, mas sim, mostrar em vídeo, o que aconteceu, com a vinda do CQC na cidade de Poá.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Poá, uma cidade sem lixeira

A Estância Hidromineral de Poá, que esta a quase dois anos sendo administrada pelo Pedetista Francisco Ferreira de Souza, o Testinha, é uma cidade com ruas sujas, e ainda sem lixeira.

A cidade, sofreu no ano passado, uma das piores enchentes, que assolou várias famílias e o comércio. E não foi só um dia, mas por diversas vezes, o pesadelo das águas assolou Poá.

O prefeito por sua vez, juntamente com o(s) secretário(s) da pasta, não tomou nenhuma medida, para que fosse feita a limpeza nos rios da cidade.
Agora, já próximo a temporada de chuvas novamente, a secretária de assuntos jurídicos, Erivânia R.A. El Kadri, anunciou na Comunidade do Orkut Poá com acento, que o prefeito vai contar com R$ 40.000.000,00 (Quarenta Milhões de Reais), verba esta, que sera usada no combate a enchente.

Mas vejo uma total falta de conhecimento técnico administrativo político, onde Testinha, não mostrou ainda nada de salutar, ou que tenha uma visão de avançada, tal como tinha o Dr. Miguel Rodrigues Comitre.

Uma cidade com uma tremenda vocação turística, onde não tem lixeiras nas ruas da cidade. Mas sim lixo, pelas ruas, calçadas não só no centro, mas nos bairros, onde pode sim ver até a Prefeitura, que joga entulho em locais, como no Parque do Povo, onde o rio foi limpo, e a sujeira que foi tirada do esta la, juntamente com entulhos.

E também, caminhões da Prefeitura de Poá, já jogou lixo e entulho em outros locais, o qual foi reportado pela TV da região.

A Prefeitura, que para cumpri a Lei Anti Fumo, nem nos eventos, e nem dentro de prédios público, onde se o cidadão quiser respirar a melhor, tem que denunciar, pois nem secretários, diretores e chefes dão exemplo.


Cade a lição de casa?

O executivo municipal, tem que começar a fazer a sua lição de casa, ou seja, colocar lixeiras, e trabalhar com uma política verde de reciclagem do lixo, em todos os departamentos público da cidade, realizando coleta seletiva.

Na cidade, tem que ser instalada de forma urgente, lixeiras, não somente na área central, como nos bairros, próximos de escolas e demais instrumentos público, Sociedades Amigos de Bairro, e igrejas, que são mais de 200 na cidade.

Treinar e capacitar todos os funcionários da administração pública a começar de secretários sem cultura, a ter a cultura de reciclagem, de sustentabilidade. Passando por todos os funcionários.
Incentivar a sociedade, com oficinas e outras políticas, para que o lixo possa não só virar arte, artesanato, como também ser fonte de renda.

A cada dia, mais solos ficam impermeáveis, juntamente com a mente de alguns comerciantes, entidades de classe, empresários e políticos com suas mentes impermeáveis, achando sempre que o problema não é seu.

Uma cidade que geograficamente, que esta em uma região de vale, onde sua saída de água é o rio Tietê já totalmente comprometido em todos os sentidos, nem 400 trilhões de reais, compraria a inteligencia de um ser, que não tem a opção de jogar um simples papel de bala na lixeira, que não existe em Poá.


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Postagem Erivania na Comunidade Poá com Acento


10 nov (2 dias atrás)

Erivania

Adilson...

Quanto ao fato de qualquer pessoa presenciar qualquer irregularidade no serviço público, acredito o fato de chamar a mídia, tirar fotografia, denunciar para os jornais irá corrigir a ilegalidade, acredito que em vez de "fazer estardalhaço" na imprensa não é bem a forma de exercer a Democracia; mas sim, sensacionalismo. Acredito que para corrigir as ilegalidade e os abusos no serviços público, em vez de mobilizar a imprensa, deve-se levar ao conhecimemto do Ministério Público para a apuração da responsabilidade, do agente público bem como da Câmara de Vereadores, para que esta, os nobres edis, exerçam a função para a qual foram eleitos, que é fiscalizar os atos do Executivo, num todo, e também os atos de seus pares, não só os atos do Chefe do Executivo, pois existem Vereadores "pseudo opositores" que se preocupam em demasia com os atos do Prefeito, que se esquecem dos demais Agentes Públicos e de seus próprios Assessores; pois, vc acredita que tem Assessor de Vereador que comete atos irregulares no exercício de suas funções? Vc acredita que tem veículo ofial da Câmara Municipal, que utilizado para fins particulares?

10 nov (2 dias atrás)

Erivania

Continuando Adilson...

Na época da campanha eleitoral, o Prefeito, então candidaton não tinha pucha saco não, tendo em vista que eram poucas as pessoas que acreditavam que podíamos ganhar a eleição. Contudo, após anunciada a VITÓRIA DE TESTINHA, menino! não sei de onde saiu tanta gente, e pessoas, que durante a campanha, eu sequer conheci, dizendo que trabalhou na campanha, que fez "boca de urna" é claro que, "DE GRATIS", "NO VASCO"(NA FAIXA), "NA CAMARADAGEM", pois não tinhamos "boca de urna", pois não é segredo pra ninguém, que não tínhamos dinheiro para pagar os chamados "boqueiros", e no dia seguinte às eleições? Quase que entrei com pedido de recontagem dos votos, pois estava convencida de que, Testinha tinha sido eleito com mais de 60% dos votos válidos, e não com 32%,conforme resultado do TRE, tendo em vista que era "tanta gente" que declarou ter votado nele... Foi nessa fase que tive a certeza do que é "puchaquismo" e "bajulação", tendo em vista que à epoca da campanha, certas pessoas, sequer nos olhavam, (me refiro a mim, meu marido e à nossa equipe, que era pequena) algumas, quando nos dirigia a palavra, e quando dirigia, zombavam conosco, porém, depois da eleição...

Quanto à sua Afirmação de que O PREFEITO NÃO FEZ NADA, NÃO FAZ NADA.. Desculpe-me, mas acredito ser equivoco de sua parte, pois o Prefeito já fez tantas coisas e existem outras tantes sendo feitas, caso queira ter a comprovação do que estou dizendo, estou à sua inteira disposição para lhe mostrar, é só ir até o Paço, me procure na Secretaria, que juntamente com as equipe da Secretaria de Obras, te levo pessoamente a cada obre realizada, serviço colocado à disposição do Munícipe, bem como às obras em andamento.






Cara Erivania

Antes de mais nada, quero deixar claro aqui, que o debate é no campo das ideias, o qual a pouco tentei falar contigo pelo telefone que esta no sítio do governo, mas fui informado, que não estava em vossa sala.



Poliano? Cadê?

Bem, estou lendo e relendo o que escreveu aqui - então, vamos por partes, onde comentarei aqui, com o meu ponto de vista. Mas antes, farei uma introdução, pois minha mente viajando pela cidade, me veio a baila, várias lembranças.

Nasci em Mogi das Cruzes, minha saudosa mãe criada em Ferraz de Vasconcelos, morou lá com o meu pai, o Alagoano de Arapiraca, assim que casaram.

Logo se mudaram para Poá, terra que meu pai já tinha raízes. Frui criado no Perracine, onde amassamos muito barro e respiramos muita poeira.

Já no centro da cidade, no final de semana, entre as poucas atrações da cidade, tinha os Parques de diversão, que vez outra era montado no terreno, onde hoje é entra do City Hotel.

Já no pátio da feira, tinha um depósito de banana, e no entroncamento da 26 de Março, com hoje avenida prefeito engenheiro Francisco Correa Allem, presenciei o prédio que pegou fogo, onde o Mineirinho já cortava cabelo.

Bebiamos água da SAAE, tirada do Rio Guaió, onde o prédio virou Câmara, e já naquela época, o então lider do prefeito Deneval Dias do Nascimento, já era vereador.

Estudei no Colégio Municipal, onde na época, era minha colega de escola, a vossa amiga Márcia Bin, hoje primeira dama.

A cidade foi crescendo, e desde aquela época, a Água Poá, já era responsável por ressoar o nome da cidade pelo Brasil.

Desde pequeno, participava da vida política da cidade, pois no bairro tinha o Macaco tá Certo “Agenor Pereira” - célebre político, e meu sempre mestre.

Hoje os dias são outros, a modernidade corre a passos galopantes, movida gigabytes, mas a cidade continua avançando, e junto com ela a vida política.

Claro que neste crescimento, veio muita gente boa, movida a vários interesses.


Dias atuais

Mas como começou dizendo de que qualquer pessoa que presenciar irregularidade no Poder Público. Cada um tem o seu ponto de vista, onde no geral o povo tem o governo que merece, pois se escolheu, sem critérios de uma política séria, e foi pego por uma ato de emoção ou dissimulação. Que receba o ônus daquilo de vossa escolha.

Digo isto, pois como és uma profissional de direito, sabe que temos que respeitar a individualidade de cada um. E o próprio Deus, ou Alah como acreditas, deu o livre arbítrio para cada um de nós.

Vivemos no estado democrático de direito, onde de um lado, os governantes e legisladores estão de um lado do cabo de guerra, e do outro o povo, pagador de impostos, onde quando se sente no direito de que classifica como estardalhaço. Pois pior do que o sensacionalismo da imprensa, é quando a classe política, usa de tal como expediente.

E o modo sensacionalista da mídia ser, ela é ressonância do povo, o qual sem opção de educação, fica com este cabresto, onde não é ensinado a pensar, muito menos a raciocinar. Basta ver como o tema educação é tratado no pais. Onde o ENEM, é apenas a ponto do iceberg.

Como praticante da advocacia, sabes muito bem, que grande parte do povo, nem imagina que o Promotor de Justiça, é o seu advogado nato, onde sua função, é manter o direito do cidadão funcionando a seu favor.
Já o modo em que coloca, ao meu ver; quer indizir, ou colocar mais um cabresto no cidadão, querendo que ele faça sua vontade. Não é assim que funciona mesmo.

Já a Câmara, tem outro papel nesta sociedade viva, e com toda sinceridade e respeito, vossa senhoria, não acompanhou a vida parlamentar do atual prefeito, onde gostaria que apontasse, qual foi o destaque dele como legislador que foi na cidade. Será que ele cumpriu mesmo com o papel de vereador? O que ele acrescentou ou fez desenvolver na processo do legislativo da cidade? Foi ele um bom vereador? Com certeza quem frequenta a Câmara com certeza tem a resposta certa e precisa.

Não digo de cobrar, de fazer uma discussão no campo das ideias, onde por muitas vezes o atual prefeito Testinha se pronunciava de forma combativa como legislador, e hoje como executivo, se embreou para executar coisas que até mesmo ele criticou. O que será que aconteceu?

Já que diz que existem Vereadores "pseudo opositores", nos esclareça melhor por favor, pois na sociedade também exite pseudo médicos, entre outros pseudos seja em que profissão houver, onde isto é fácil detectar, principalmente quando não se tem o respeito no meio acadêmico.

Agora quando diz que tem assessores que cometem irregularidades, não sou eu que tenho que relembrar vosso juramento profissional, que fez em vossa formatura.

Falo isto, pois presenciei um carro oficial da Prefeitura de Poá, em horário de expediente, dentro da casa de uma pessoa. Ou seja, o que fazia ele la?

Mas eu além de pagar meus impostos, será que tenho que ser gestor também, por incompetência do prefeito, secretário da pasta, diretor, chefe de divisão, e falta de bom senso do responsável pelo patrimônio público?



Época de eleição

Na época de eleição, como profissional de comunicação, procurei vosso candidato a prefeito, onde ofereci um serviço, pois Graças a Deus, sei bem dividir as coisas. Mas ele sabonetou, mandou falar com pessoas, as quais rechaçaram não a mim, que sei bem dividir as coisas, e sei bem de qual fonte devo beber água. Onde tais pessoas, sem maturidade e profissionalismo, foram as mesmas que apualaram vosso grupo pelas costas. Veja que cruel destino. Claro que ele não tinha staff.

E teve gente, da equipe do hoje prefeito Testinha que, comemorou com a turma do Roberto Marques. O qual em sua governabilidade, deu oportunidade para várias pessoas trabalhar e aprender, onde diversos foram chamados para poder mostrar e trabalhar carregando nas costas muito aprendizado e várias responsabilidades. Mas na hora de aparecer na foto, advinha quem faz pose? É o bonitinho que fica preocupado em ter o nome nos sites e internet. Mas isto é outra história.

Pois bem, eu fiquei sabendo sim, de vários penetras, onde também, estão hoje trabalhando no governo do prefeito Testinha, onde até eu recebi o convite para a festa. Mas o culpado disto, é o próprio Testinha, que tem gente que sem critério político, hoje faz parte de sua equipe de trabalho, e te garanto com muita tranquilidade, como diz o secretário Dorval. Não fui eu quem assinou a portaria para tal.

Sobre o prefeito fazer ou não, o Eduardo Carlos Felippe, quando prefeito, em seu último mandato, durante seus 4 anos, tinha a verba de orçamento, que o atual prefeito Testinha teve agora no ano de 2010.
Me diga o que ele fez de relevante para a cidade por favor. Pois o povo quer saber, e olha que ele informar o que esta fazendo com o dinheiro público, esta bem tácito na Constituição Federal.

Ele não cumpre nem a lei Anti Fumo, onde na Festa das Orquídeas, só foi tomada as medidas, após este cidadão informar a Secretaria Estadual de Saúde, onde a Municipal, recebe verba, e não faz cumprir a referida lei, fazendo valer as políticas pública sobre o tabagismo e seus males. Situação discutida hoje por políticos inteligentes e modernos.

Mas será que é competência minha cuidar do sítio do governo municipal onde não atualiza suas informações?
Será responsabilidade minha ou de qualquer outro cidadão, limpar sujeira que esta acumulada a vários dias, no espelho d'água do chafariz das Praças da Bíblia e Guido Guida?

E o Departamento de Transito, o qual nunca vi ou presencie, alguma ação de Educação no Transito, sendo que tem funcionários, ao contrario, é mal educado, e não gosta de fornecer informações, onde viram as costas, ignorando a solicitação ou informação.

Hoje pela manhã, na avenida 9 de julho, um prédio em construção, onde de frente da Lojas Americanas, estava sendo feita adequação da calçada (reforma), onde os proprietários, colocou barreiras induzindo o cidadão para circular na via pública, ou seja, na rua, onde corria o risco de ser atropelado por um carro, ônibus ou caminhão.

Presenciei uma viatura do transito, (a qual não tem número de identificação) onde informei ao Funcionário Público o que estava acontecendo. Onde o mesmo nem desceu do carro, mas disse que ali, era responsabilidade da MWE, não tomou nenhuma medida, e as pessoas continuou a circular pela via pública.


Visitas in loco

Será um prazer, acompanhar a digníssima secretária, para saber mais sobre o que esta sendo feito na cidade, onde é de competência do Departamento de Comunicação, informar o que esta sendo feito com o prefeito, e demais servidores municipais, do que ficar tirando foto dele andando na cabine de trem com o governador.

E não somente saber das obras, mas do governo por um todo, principalmente da edução e saúde, sendo a última de grande importância para o prefeito Testinha.

Onde providenciarei não só uma câmera fotográfica, como uma de vídeo, onde podermos ir sim, desde a divisa de Itaquá com Poá, circulando pelos quatro cantos da cidade, claro que passando pelos postos de saúde e corredores do hospital, onde poderemos sim sem edição, postar tudo o que o povo disser.
Com certeza, teremos que ficar uma semana correndo a cidade. Pois volto a dizer, um governo sério, equane de aceitabilidade popular, não é feito só de obras.


quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Polícia Civil de Poá

A cidade de Poá, tem uma equipe hoje, de bons Policias Civis, que vem prestando um relevante serviço para a sociedade.

Por questão de ética profissional, não seria de boa valia descrever coisas que já vi, presenciei, reportei, onde uma delas, fotografei para o Jornal Diário Popular. Mas hoje, os dias são melhores, vemos mais ética, respeito, e acima de tudo, solicitude.

Pois desde quando vesti a camisa do combate a pedofilia, pude ver, com olhar crítico e analítico, o avanço, que estes Profissionais da Segurança, vem desempenhando com profissionalismo, destreza, boa vontade, onde hoje temos uma equipe de bons Servidores Público, que estão a disposição da sociedade.

Claro que isto isto é reflexo de quem esta coordenando, onde consegui contagiar a todos que trabalham. E quem recebe os benefícios, são todos da população, que vão a uma Delegacia de Polícia em sua maioria das vezes, já entram ali com um grau de estresse alto, ou devido alguma surpresa desagradável. Mas quanto encontra uma equipe de profissionais, que agem com Profissionalismo e Humanismo (dentro do possível), o resultado final é observado com clareza.

Fica aqui, registrado minhas singelas homenagens, para estes Servidores Públicos.
Quiçá mais fossem assim.