ÂNGULO PRODUÇÕES

ÂNGULO PRODUÇÕES
Serviço Profissional de Fotojornalismo e Vídeojornalismo - Informações Ligue (11) 2854-9643

quinta-feira, 1 de março de 2012

Câmara de Poá (SP) diz que prefeito acatou aumento de salários, mas prefeitura nega

Deneval Dias o presidente da Câmara não
gostou do manifesto e esbravejou também com os manifestantes

Na noite desta terça-feira (28/02/2012), o presidente da câmara de Poá, Deneval Dias do Nascimento (PRB), disse que o prefeito Francisco Pereira de Souza (PDT), o Testinha, havia acatado o aumento de salários de vereadores, secretários, dele mesmo e do vice-prefeito, apesar de todos os protestos da população. Mas a Secretaria de Administração do município apenas confirmou que os projetos de lei chegaram à administração municipal e ainda aguardam sanção ou veto. Se mantidos, os novos valores passam a vigorar a partir do próximo mandato.

Douglas do Psol em entrevista à TV Diário
O prefeito estava viajando nesta terça-feira (28), quando manifestantes de rostos pintados do Psol de Poá, seguiram em passeata até o prédio da administração municipal com esperança de que os projetos de lei aprovados pelos vereadores fossem vetados pelo chefe do Executivo. Eles não sabiam, porém, que o prefeito já tinha decido por manter os aumentos entregaram um manifesto para o secretário de Governo, Geraldo Oliveira.

Os participantes do protesto também seguiram para a sessão da câmara, onde os vereadores deram várias justificativas para a medida, entre elas as dificuldades do trabalho de um parlamentar. Não se pode julgar o trabalho de uma câmara inteira apenas por uma sessão, mas nesta terça-feira os vereadores apenas discutiram dois assuntos em menos de 40 minutos: um projeto que prevê a declaração de utilidade pública de uma associação de e outro que trata sobre a entrega de uma honra ao mérito.
Cartaz com charge do prefeito Testinha feito por um dos manifestantes

Para aumentar ainda mais os gastos, em 2013 o número de cadeiras câmara também vai ser maior, passando de 11 para 17. Os vereadores vão custar R$ 2,4 milhões por ano.


A aprovação do aumento 

Pessolistas ficaram de costas para os vereadores
A sessão em que os aumentos foram aprovados foi realizada na sexta-feira (24) e também teve a participação de muitos manifestantes. O reajuste que vale para vereadores, secretários municiais, prefeito e vice-prefeito, chega, em média, a 80%.

Pela proposta, o salário dos secretários passará de R$ 7 mil para R$ 12 mil. Já os vereadores que ganham R$ 5,9 mil passarão a receber R$ 10 mil. O salário do prefeito aumentará de R$ 12,5 mil para R$ 22,4 mil.

A decisão foi dividida de acordo com os cargos. O presidente da câmara não tem direito a voto, a não ser em caso de desempate.

Votaram a favor dos reajustes para todos os cargos:
Augusto de Jesus (PRB)
Edison Rodrigues (DEM)
Lauriston Barros (PV)
Luiz Antônio Oliveira (PDT), o Tonho
Marquinho da Indaiá (PDT)
Mário Sumirê (PSD)

Votaram contra o aumento para todos os cargos:
Jeruza Lisboa Reis (PTB)
Fernando Molina Júnior (PR), o Júnior da Locadora
Ricardo Massa (PP)

O vereador Azuir Cavalcante (PTB) votou contra o reajuste para vereadores, prefeito e vice-prefeito, mas foi a favor dos aumentos para os secretários.

O blogueiro Adilson Santos, já tinha entrado na Justiça, contra os gastos da Câmara, onde pediu na época a redução de vereadores - Assista o vídeo


Assista o vídeo do manifesto dos Pessolistas de Poá



Assista a reportagem que foi veiculada na TV Diário, afiliada da #RedeGlobo


Fonte: TV Diário / Fotos: Adilson Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e interação, o seu comentário será avaliado, para depois ser postado.

Continue postando os seus comentário.